4 dicas de dietas para quem não consegue viver sem carboidratos

Geralmente, quando vemos dietas para emagrecer, em sites ou blogs, a grande parte delas propõe retirar os carboidratos do cardápio diário.

O pior que a maioria não prega apenas tirar os carboidratos refinados, como macarrão e pão branco, mas excluir, ou limitar severamente, muitas das fontes mais saudáveis de carboidratos, como frutas, legumes e grãos, por exemplo.

O fato é que isso não é nada bom, já que são alimentos necessários para saciar sem precisar ingerir muitas calorias, ajudando a deixar o metabolismo funcionando.

Por isso, ao procurar alguma dieta, prefira a que seja fácil de seguir por muito tempo, ou a vida toda, adotando uma reeducação alimentar, onde tudo é permitido, desde que de forma equilibrada.

Ou seja, invista em dietas que têm um equilíbrio saudável de carboidratos, proteínas e gorduras, que proponham escolhas mais saudáveis.

Mas, se não sabe nem por onde começar, vai gostar de conferir nossas opções de dietas, as quais propõem hábitos alimentares saudáveis, sem obrigar a viver sem carboidratos.

Além das dicas abaixo, você pode usar um emagrecedor natural, o detona gordura é um produto que funciona muito bem para quem deseja emagrecer rapidamente, você pode ver na composição do detona gordura que ele é 100% natural e não tem efeitos colaterais.

A dieta mediterrânea

A dieta mediterrânea não impõe que diminua o consumo de carboidratos ou gordura. Fácil de seguir, a dieta é baseada em alimentos como plantas, frutas e legumes frescos, peixes e aves, azeite, oleaginosas, grãos integrais, ervas e especiarias.

Não pode viver sem seu vinho? Então, pode comemorar, pois ela permite vinho tinto, queijo, iogurte e ovos, desde que com moderação.

Já, carnes e doces dever ser consumidos apenas ocasionalmente.

Como nenhum grupo de alimentos é proibido, a dieta mediterrânea é mais fácil de ser sustentada a longo prazo. Sem falar que não precisa perder os benefícios,  como a saciedade e o controle do colesterol, dos carboidratos ricos em fibras,.

A dieta Dash

A dieta Dash (Dietary Approaches to Stop Hypertension), ou, dieta para barrar a hipertensão, como o nome sugere, foi criada para prevenir o problema.

Assim, a dieta prioriza nutrientes como potássio, cálcio, proteínas e fibras, que são fundamentais para combater a hipertensão e, claro, perder peso.

A dieta é baseada em frutas, legumes, grãos integrais, carnes magras e produtos lácteos com baixo teor de gordura, ao mesmo tempo em que limita o consumo de alimentos não saudáveis, como açúcar, carne vermelha e alimentos ricos em sódio.

A dieta flexitariana ou semivegetariana

A dieta flexitariana defende que não é preciso eliminar inteiramente a carne para colher os benefícios saudáveis do vegetarianismo. Ou seja, pode ser vegetariano na maior parte do tempo, e de vez em quando desfrutar de um hambúrguer ou bife.

Porém, se tornar uma flexitariana significa adicionar alguns grupos alimentares à dieta, incluindo alternativas à carne, como tofu, feijão, lentilhas, ervilhas, ovos, oleaginosas e sementes.

Frutas e legumes, grãos integrais e laticínios também fazem parte da dieta.

Vale saber que, geralmente, os vegetarianos comem menos calorias, pesam menos e têm um IMC menor do que os carnívoros.

Se investir nas plantas dessa dieta, e comer muitas frutas, legumes e cereais integrais, provavelmente, vai  precisar de menos calorias para se satisfazer, e claro, perder peso.

Consciência

Vale ressaltar que não é preciso seguir alguma dieta para conseguir emagrecer.  Na verdade, é preciso se conscientizar que uma alimentação saudável, equilibrada, naturalmente, se não houver excesso, vai levar á perda de peso.

Ou seja, mais vale investir em uma reeducação alimentar, poder comer de tudo, com consciência, do que se submeter á dietas radicais que não conseguirão ser levadas por muito tempo, ocasionando na volta ao peso inicial e no efeito sanfona.

Procure encher metade do seu prato com legumes, aumentar a quantidade de proteínas e reduzir a de carboidratos refinados.

Em excesso, tudo faz mal, portanto, buscar o equilíbrio ainda é a melhor dieta.

Tratar varizes naturalmente durante a gravidez

Durante a gravidez, o volume sanguíneo aumenta, enquanto a taxa na qual o sangue flui das pernas para a pelve diminui. Isso pressiona as veias, o que pode causar varizes.

As varizes são veias dilatadas que comumente ocorrem nas pernas, embora também possam aparecer nas nádegas e na área vaginal durante a gravidez. Hemorróidas são outro tipo de varizes no ânus ou reto que ocorre durante a gravidez e geralmente são resultado de constipação.

Alterações hormonais podem levar a varizes, pois níveis aumentados de progestina podem dilatar ou abrir veias. Além disso, durante a gravidez, o útero exerce pressão sobre a veia cava inferior (a veia que transporta sangue das pernas e pés para o coração), contribuindo ainda mais para as varizes.

As varizes geralmente não são prejudiciais, embora possam se tornar coceiras e desconfortáveis. A boa notícia é que eles geralmente diminuem dentro de três meses a um ano após o parto.

Como tratar varizes naturalmente durante a gravidez

Embora as varizes possam ser hereditárias e você não possa impedir as alterações circulatórias que ocorrem durante a gravidez, existem algumas maneiras de prevenir ou minimizar as varizes.

Uma ótima maneira para tratar varizes durante a gravidez é usando o creme varigold, se você nunca ouviu falar sobre esse produto, e deseja saber onde comprar varigold eu recomendo que clique nesse link e veja todos os detalhes sobre ele.

Essas medidas preventivas são a melhor opção de tratamento durante a gravidez:

  • Evite ficar sentado ou em pé na mesma posição por longos períodos de tempo. Certifique-se de fazer pausas para mudar sua posição.
  • Evite usar sapatos de salto alto. Melhor usar sapatos de salto baixo ou raso, pois isso trabalha os músculos da panturrilha, promovendo a circulação saudável
  • Exercite regularmente. Você conversa com seu médico para descobrir se é seguro se exercitar durante a gravidez.
  • Use meias de apoio à maternidade. Eles pressionam as pernas, estimulando o fluxo de sangue na perna até o coração. No entanto, evite usar meias apertadas que cortam a circulação.
  • Evite cruzar as pernas enquanto está sentado.
  • Periodicamente, levante as pernas para melhorar a circulação.
  • Durma do seu lado esquerdo. Isso ajudará a aliviar a pressão na veia cava inferior.
  • Reduza a ingestão de sódio para minimizar o inchaço das veias.
  • Beba bastante água e coma fibra suficiente para evitar a constipação.

AVISO: Alguns usaram extrato de semente de castanha da Índia (com a esculina venenosa removida) para tratar varizes. No entanto, consumir a casca, flores, sementes ou folhas cruas desta planta é venenoso e pode causar a morte.

A segurança do uso do extrato de castanha da Índia com a esculina removida durante a gravidez permanece desconhecida. Portanto, é melhor evitar o uso se estiver grávida ou amamentando.

Como tratar varizes naturalmente durante a gravidez, quando métodos naturais não funcionam

A cirurgia de varizes não é recomendada durante a gravidez, porque as varizes geralmente melhoram após o parto.

Entre em contato com seu médico se suas veias ficarem inchadas, quentes, macias ou vermelhas, se sangrarem, se você tiver uma erupção cutânea na perna ou no tornozelo ou se a pele da perna mudar de cor ou ficar espessa.

Dicas para uma transição capilar tranquila

Felizmente, as cacheadas entenderam o poder de seus cabelos! Atitude, personalidade, autoconfiança, são só algumas mensagens que os cachos conseguem passar!

Assim, a onda de transição capilar nunca esteve tão em alta, deixando para trás a rotina exaustiva com alisamentos, chapinhas e secadores, para, finalmente, assumir cabelos cacheados, mais saudáveis e naturais.

A transição

Quem está querendo fazer a transição e não sabe por onde começar, a dica é, primeiramente, ter muita paciência, pois esse processo é lento.

Afinal, não é do dia para noite que seu cabelo vai se livrar de toda a química e retornar à sua forma natural. E nesse período, é preciso estar preparada para encarar cabelos mais enrolados/crespos, onde está crescendo, ou meio liso na parte onde ainda tem a química de alisamento ou progressiva.

E atenção, é justamente nessa hora que sua vontade será posta à prova, é quando muita gente não aguenta e acaba desistindo.

Veja também: Gummy Hair Funciona

O ideal é se manter determinada, não caindo na tentação de utilizar a chapinha na parte crescida para ir cortando o comprimento aos poucos, ou mesmo, radicalizar, quase raspando o cabelo… aguente firme!

Se quer manter os fios mais saudáveis, confira abaixo algumas dicas para trazer os cachos de volta sem muito estresse.

Mudanças de hábitos

Está decidida? Então, aceite que é um processo lento e difícil, onde seus fios passarão por diversas etapas: perderão um pouco a forma e ficarão enfraquecidos, porém, o resultado valerá muito à pena!

O primeiro passo é mudar seus hábitos, eliminando, de vez, os processos químicos, assim, evite ferramentas de calor e reserve sempre um tempinho do dia para cuidar e hidratar os fios.

Cuidados diários

É preciso, também, investir no produtos certos, apropriados para essa fase, tanto para hidratar os fios, reparar os danos, controlar o frizz e definir os cachos. Você pode escolher uma linha de cuidados diários voltada para seu tipo de cabelo (vale perguntar para o seu cabeleireiro).

Frizz sob controle

A raiz rebelde e o frizz lhe deixam muito estressada? Então, pode conseguir um efeito mais liso e disciplinado sem usar química durante o período de crescimento do cabelo, escolhendo uma linha que contenha ativos para disciplinar e alinhar os fios, existindo muitas opções no mercado.

Mas, se o que quer é assumir logo os cachos, então, escolha uma linha de tratamento para cabelos cacheados, geralmente, rica em ativos hidratantes  e óleos que nutrem e ajudam a definir os cachos, algumas têm até máscara de hidratação intensiva e finalizadores para ajudar a manter o brilho e maciez dos fios, além de modelar e definir os cachos.

Tratamento mais intenso

Procure, pelo menos, uma vez por semana, investir em um tratamento mais intenso para recuperar os fios quimicamente tratados e fortalecer o cabelo natural, justamente, para que possa crescer saudável e mais rápido.

Uma dica é apelar para o cronograma capilar, que ajuda a reconstruir e reparar os danos, hidratar e nutrir os fios. Também vale investir em um kit de reposição de massa capilar, para recuperar os fios maltratados pelo excesso de química.

Finalização é tudo

Sabe qual o melhor amigo dos cachos? Se pensou em finalizadores, acertou! Invista em creme para pentear, leave-in, umidificador de cachos e óleos, para manter os cachos hidratados, macios, brilhantes e definidos.

Soluções caseiras para tratar estrias

Estrias são cicatrizes que se formam na pele após a mesma esticar muito, geralmente, em decorrência de gravidez, dietas radicais, musculação. Embora homens também podem ter estrias, em mulheres é muito mais comum.

Enquanto as estrias vermelhas são aquelas mais recentes, portanto, mais fáceis de serem tratadas, as estrias brancas, no entanto, são as mais antigas e mais complexas de tratar, muitas vezes, sendo necessário se apelar para tratamentos mais radicais.

Por mais que, atualmente, existam muitos tratamentos, realmente, eficazes, é possível tratar as estrias você mesma, em casa, e até apelar para algumas soluções caseiras.

Certamente, bons resultados vão depender, não apenas, de seguir o tratamento corretamente, como também, do grau das estrias.

Estrias vermelhas

Como foi dito, as estrias vermelhas são aquelas mais recentes, portanto, o sangue ainda está circulando, sendo mais fáceis de tratar.

E a melhor solução caseira para estrias vermelhas é hidratar muito bem a pele, usando creme ou óleo hidratante todos os dias, no mínimo 2 vezes ao dia.

Outra dica é evitar usar roupa muito apertada, pois isso favorece as estrias.

Também evite oscilações de peso, com dietas muito radicais, pois isso não permite que a pele se adapte ao novo peso, acaba esticando muito rápido e, assim, rompendo as fibras com mais facilidade, dando origem às estrias.

As estrias vermelhas costumam coçar muito, a dica, no entanto, é não coçar, pois isso vai favorecer a ruptura da pele, deixando-as ainda mais fragilizada e propensa às estrias.

Para diminuir a coceira, a dica é colocar o creme dentro da geladeira, já que a  temperatura fresca ajuda a diminuir a coceira, evitando a formação das estrias.

E atenção, evite esfoliar nessa fase, pois isso pode agravar o surgimento das estrias.

Estrias roxas

Enquanto as estrias vermelhas são aquelas recentes, já, as estrias roxas estão numa fase intermediária, portanto, não são tão novas, mas também, não coçam tanto.

Dica: Silk Skin Funciona para estrias vermelhas, roxas e brancas!

Quem tem estrias dessa cor deve caprichar na esfoliação da pele, para aumentar a circulação sanguínea e, também, aplicar um bom creme para estrias logo a seguir, para que ele penetre mais facilmente na pele, promovendo maior e melhor efeito.

Receitas de esfoliantes caseiros

A boa notícia é que é possível fazer a esfoliação com misturas caseiras, se não quiser fazer com esfoliantes industrializados.

Algumas opções caseiras são:

  • Borra de café: Misture 2 colheres (de sopa) de borra de café e  2 colheres (de sopa) de sabonete líquido;
  • Açúcar e óleo:2 colheres (de sopa) de óleo de amêndoa doce e 2 colheres (de sopa) açúcar branco;
  • Bicarbonato com água:2 colheres (de sopa) de bicarbonato de sódio e 2 colheres (de sopa) de água;
  • Fubá e iogurte: 2 colheres (de sopa) de borra de fubá grosso e 2 colheres (de sopa) de iogurte natural.

A dica é fazer a esfoliação 2 vezes por semana, esfregando as misturinhas com as mãos, algodão, luvas de esfoliação, ou bucha vegetal.

Uma outra boa estratégia é passar um pente fino em cima das estrias, nas direções vertical, horizontal e diagonal, por cerca de 5 à 10 minutos, isso ajuda a aumentar a circulação sanguínea, preparando a pele para o uso do creme a seguir.

Receita de creme caseiro antiestrias

Ingredientes

  • 1 creme nívea (lata azul)
  • 1 tubo de hipoglós
  • 1 ampola de arovit (vitamina A)
  • 1 frasco de óleo de amêndoas (100 ml)

Modo de preparo

Misture todos os ingredientes e coloque num frasco limpo, fechado e mantenha na geladeira.

Utilize o creme diariamente, em todas as áreas afetas pelas estrias.

Confira os principais riscos da cirurgia para aumentar os seios

Embora o Brasil seja o segundo país que mais realiza cirurgia plástica, só atrás dos EUA, o que muita gente não sabe, ou não leva em consideração,é que como qualquer cirurgia, a cirurgia plástica também oferece riscos ou complicações.

Infecção, trombose, rompimento dos pontos, parada cardíaca são só alguns dos possíveis riscos.

O fato é que embora eles sejam mais comuns em pessoas que possuem doenças crônicas, anemia ou que tomem anticoagulantes, os riscos existem para qualquer pessoa, principalmente, quando a cirurgia dura mais de 2 horas, em caso de anestesia geral.

Sem dúvida, a melhor maneira de evitar possíveis os riscos ou complicações com uma cirurgia plástica é realizar o procedimento em uma clínica ou hospital, com um cirurgião plástico membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e seguir todas as suas recomendações no pré e pós operatório.

Uma dica para aumentar e firmar os seios sem precisar de cirurgia é fazendo o uso do Femme Busto que é um produto natural que ajuda no aumento e fortalecimento dos seios.

7 possíveis complicações na cirurgia plástica

  1. Hematoma e manchas roxas

Desenvolver hematoma é a complicação mais comum da cirurgia plástica, que ocorre devido ao acúmulo de sangue na região operada, causando inchaço e dor. Também podem surgir manchas roxas, Pelo fato dos vasos sanguíneos se romperem durante a cirurgia.

Na verdade, essas são complicações esperadas,muito comuns em cirurgias para corrigir pálpebras, como blefaroplastia, lifting facial ou lipoaspiração, e costumam ser tratadas apenas com uso de gelo ou aplicação de pomadas, desaparecendo em até 2 semanas após a cirurgia.

  1. Diminuição da sensibilidade

Devido ao inchaço na região operada, pode ocorrer a perda de sensibilidade em cima da cicatriz, embora a tendência é essa sensação ir diminuindo com o tempo.

  1. Cicatrizes deformadas

Após qualquer cirurgia plástica, pode ocorrer o surgimento de cicatrizes grossas, deformadas e queloides, embora sejam mais comuns em cicatrizes maiores.

Também é possível desenvolver nódulos debaixo da pele, causados pela formação de um tecido duro no local, que repuxa a pele.

Também, em alguns casos, podem surgir uma cicatriz retrátil, repuxando a pele para dentro e criando um buraco na região operada.

Sem dúvida, a melhor forma de tratar cicatrizes deformadas é com sessões de fisioterapia estética, ou refazendo a cirurgia plástica, para corrigir a cicatriz.

  1. Acúmulo de líquido

No caso de inchaço, pele avermelhada, dor e sensação de flutuação no local da cicatriz, pode estar havendo o chamado seroma.

Para evitar esta complicação é recomendado o uso de faixas, cintas ou curativos compressivos no pós-operatório, assim como, repousar e usar um dreno para remover o líquido em excesso.

Em alguns casos, pode ser preciso retirar o excesso de líquido com uma seringa para facilitar a recuperação.

  1. Abertura dos pontos

A abertura dos pontos ou grampos pode causar risco de desenvolver uma infecção, e o tempo de cicatrização aumenta.

Geralmente, isso acontece quando a pessoa realiza movimentos excessivos no pós-operatório, sem cumprir o repouso recomendado pelo médico, sendo mais comum em cirurgias como abdominoplastia.

  1. Infecção

É mais comum haver o risco de infecção em torno da cicatriz, porém, pode ocorrer uma infecção interna, causando sintomas como inchaço, dor, febre e pus.

E mais, quando é feita a aplicação de próteses de silicone, como mamoplastia de aumento, também pode ocorrer a rejeição da prótese, surgindo a infecção, tratada com medicamentos específicos, receitados pelo médico.

  1. Trombose

É extremamente importante ficar atento para no caso de haver formação de trombos ou coágulos, sendo comum sentir inchaço e intensa dor nas pernas, principalmente, na panturrilha, além de pele arroxeada e, se não for tratados rapidamente, os coágulos podem deslocar-se para os pulmões e provocar embolia pulmonar, que é muito grave e pode ser fatal.

Justamente, para evitar esta complicação, o médico costuma receitar anticoagulantes, e pedir para movimentar os pés e as pernas mesmo em repouso.

E vale ficar atento, pois além dessas complicações acima citadas, também pode ocorrer necrose, que é a morte dos tecidos por falta de sangue e oxigênio, ou ainda, ocorrer a perfuração de órgãos. Porém, ambas são complicações mais raras, mais relacionadas a inexperiência do cirurgião plástico.